Batatas Gratinadas

Nada como um prato único na hora do jantar… sujar só um pirex, tudo no mesmo recipiente, pá pum! IMG_2928

Eu costumo fazer gratinados com macarrão..mas as vezes uma batatinha faz falta, né?

Essa maneira de fazer as batatas foi uma agradável surpresa em um destes dias que você resolve pedir comida em casa, quer comer algo um pouco mais saudável e acaba pedindo a única opção que tem brócolis rs… Acabei por descobrir que é um prato bastante comum nos cardápios de entrega de restaurantes por aqui.. meio que como um coringa… não está afins nem de pizza e nem de macarrão? peça um Gratin!

Pois bem.. a família aprovou o prato e eu tratei de inventar uma versão minha.

IMG_2929Da primeira vez que eu fiz, eu caí na besteira de achar que poderia colocar os legumes crús no forno, já com todos os ingredientes.. mas o queijo gratinou logo e as batatas não ficaram cozidas o suficiente.. então, eu cheguei a conclusão que não dá pra ser tão fácil assim, por mais fácil que seja! E decidi que preciso cozinhas, ao menos as batatas e os brócolis, antes de colocar a mistura no forno.

Outra coisa que fiz diferente desta vez, foi que incluí queijo Feta na mistura. E garanti a aprovação do marido 😉 (segundo ele qualquer coisa que leva queijo feta fica gostosa). E afinal, você pode mesmo colocar o que bem entender neste prato.. desde que você goste, e que você cozinhe antes se o ingrediente precisar de mais tempo pra IMG_2930cozinhar 😉

E aí vai a receita:

Batatas Gratinadas

Ingredientes

4 batatas médias

4 “árvores” de Brócolis

4 cogumelos cortados

2 colheres de sopa de bacon picado

1/2 xícara de queijo Feta em IMG_2931pedaços

1 copo de Creme Fraiche

1 e 1/2 xícara de mussarela ralada

salsinha, sal e pimenta a gosto

Modo de Preparo

IMG_2932Cozinhe as batatas e o brócolis (de preferência no vapor) até ficarem al dente. Retire o excesso de água, e coloque em um pirex, cortados em pedaços pequenos, junto com os cogumelos, o bacon e o queijo Feta. Tempere, despeje o Creme Fraiche e misture bem até que todos os pedaços dos legumes estejam cobertos. Cubra tudo com o queijo mussarela. Leve ao forno 180° por 10 minutos, e use a função gratinar por mais 5 a 10 minutos (até que o queijo esteja gratinado). Sirva ainda quente.

IMG_2934

Anúncios

Pão de Queijo

Se você estava esperando uma receita de pão de queijo… eu peço desculpas antecipadamente…IMG_2474

Acontece que é tão mais simples fazer pão de queijo de caixinha da Yoki… e só acrescentando um pouco mais de queijo ele fica tão melhor.. que a verdade é que eu nunca nem tentei fazer pão de queijo “from scratch”!

Além de dar um UP na massa do pão de queijo (o que aliás foi uma dica de uma amiga que conheci aqui em Hamburgo), na hora do lanche nós também fazemos Panini com eles, ou como meu pequeno diz: tostex de pão de queijo 🙂

O pão de queijo de caixinha eu compro aqui mesmo na Alemanha, pela Amazon.com. Mas também sei que dá pra comprar nas lojinhas de produtos portugueses.

Eu acrescento ainda mussarela ralada (mais ou menos 100g) e mais queijo parmesão ralado (umas 50g). A verdade é que qualquer queijo que eu tenha em casa acaba entrando na massa e aí ela fica sempre deliciosa e com um toque diferente. Da última vez eu tinha Cheddar e Gouda, ficou uma delicia.

IMG_2497

E aí o restante você já conhece… mistura tudo, deixa descansar por 3 minutos, faz bolinhas do tamanho que você quiser, e assa em forno médio por 25 minutos (eu sempre coloco o meu timer pra me avisar 10 ou 5 minutos antes, pois já queimei muita coisa por meu forno ser forte demais).

Depois de pronto, nós usamos o George Foreman Grill (ou qualquer IMG_2499grill/sanduicheira) para fazer os paninis.

Raclette

Ainda não chegamos no pratos típicos alemães, mas estamos perto!

Raclette é um prato suíço que eu conheci através do meu marido. A primeira vez que ele me prometeu cuidar do jantar, ele fez raclette. Cozinhou algumas batatas e pronto. Até hoje este é um assunto polêmico aqui em casa, já que, naquela ocasião eu disse que ele não podia dizer que tinha “preparado” o jantar, e até hoje, quando faço raclette, ele insiste que eu também não cozinhei nada.IMG_2339

Há umas 3 semanas fomos convidados à casa de uns amigos e eles serviram raclette para o almoço. Foi a primeira vez que eu comi este prato no almoço e também a primeira vez que o comi à moda de outra família. Foi interessante por que lá eles serviram a raclette com várias coisas que eu nunca tinha imaginado e acabaram nos dando algumas idéias de como fazer a raclette se tornar mais atrativa pra nós mesmos na nossa casa.

Bom, comecemos do começo. Se você ainda não sabe o que é raclette, aí vai uma breve descrição.

A palavra raclette deriva do queijo do mesmo nome, que por sua vez deriva da palavra francesa “racler” que quer dizer raspar. Originalmente, o queijo é colocado perto do fogo e quando apresenta consistência mais macia, é raspado e colocado em cima da comida (normalmente batatas). O raclette também pode ser feito com uma máquina própria, que é basicamente uma grelha elétrica com espaço para pequenas “panelinhas” onde se coloca o queijo já fatiado para ser derretido. O raclette também é normalmente servido com picles e carnes frias. Mas você pode, basicamente, incluir qualquer coisa que você ache que combine com queijo e que possa ser IMG_2337grelhado na hora.

Na nossa casa, depois da apresentação do prato pelo meu digníssimo, nós costumávamos fazer raclette a noite. Por que não incluíamos muitos outros ingredientes além do queijo e das batatas e acabava virando uma refeição leve. Na casa dessa nossa amiga, eles serviram a raclette com carne vermelha, tanto em forma de filé como em forma de carne moída (preparada como hambúrguer) e mais um monte de outras coisas como legumes, macarrão, etc.

Foi aí que eu comecei a enxergar a raclette mais como uma refeição que poderia ser servida no almoço, principalmente em dia de mais preguiça ou que teríamos um jantar mais pesado.

No Brasil, nós fizemos raclette algumas vezes. Mas como lá o tempo, normalmente, é mais quente, ficava difícil jantar no calor com aquela grelha em cima da mesa. (Imagina comer em volta da churrasqueira no verão!). Por isso, fizemos poucas vezes e sempre no inverno. Como lá não encontrávamos queijo próprio pra raclette, usávamos outros tipos de queijo mesmo (mussarela, queijo prato, provolone, gorgonzola, etc) e ficava uma delícia.

Já tínhamos feito algumas vezes aqui na Alemanha também, inclusive como almoço nos dias do Natal e véspera de Ano Novo. E neste final de semana, minha cunhada veio nos visitar, e “solicitou” que o prato fosse servido durante a visita dela. 😉

E foi o que comemos no almoço de sábado.

Na descrição original do raclette as batatas podem ser cozidas ou assadas. Aqui eu costumo cozinha-las normalmente IMG_2341(com casca e tudo – bem lavadas) e depois embrulho em papel alumínio para que elas continuem quentes por mais tempo.

Depois do raclette na casa dos nossos amigos, nós então decidimos incluir mais algumas coisas na “receita” e como não costumamos comer muita carne vermelha, nosso raclette agora é regado a filézinhos de frango, camarão, bacon e cogumelos paris (os dois últimos a gente já costumava incluir). Outra coisa que fica à disposição são temperos diversos, como pimenta, azeite, salsinha e manjericão (frescos ou não), orégano, sal.. seja para colocar no queijo a ser derretido ou para temperar a batata. Outra coisa que fica bem gostosa se incluída são aspargos, e estou pensando seriamente em incluir brócolis da próxima vez.

E vocês, já conheciam Raclette?

* Dica do maridão: se for fazer raclette, feche as portas de todos os outros cômodos da casa e lembre-se de tirar o varal da sala (se você, como nós, secar as roupas dentro de casa no inverno)! a casa fica cheirando a raclette por uns 2 dias! 🙂