A motivação por trás do Blog, a internet como fonte de informação e as receitas passo-a-passo

Em menos de 3 dias desde que coloquei o blog no ar já recebi 3 mensagens de pessoas que não conheço me parabenizando pela iniciativa e me pedindo coisas que ainda não disponibilizei aqui (também recebi comentários e mensagens de pessoas que conheço e agradeço de coração o feedback!). Confesso que estou surpresa! Eu sempre admirei quem conseguia ter e manter um blog, ainda mais quem conseguia chegar ao ponto de ser intitulado “blogueiro/blogger”, mas nunca pensei que fosse algo pra mim.

Primeiro por que eu sou um pouco “low profile”… não gosto nem da atenção que recebo no meu aniversário. Prefiro ser desconhecida, comentar o que penso com as pessoas mais próximas e pronto. Talvez por que eu não dê muito crédito às coisas que tenho a dizer, talvez não dê muito crédito a mim mesma… mas sempre senti uma certa insegurança sobre colocar em público meus pensamentos e opiniões. E as poucas vezes em que fiz isso, acabei me arrependendo.

Segundo por que eu nunca achei que teria assunto pra continuar compartilhando em um período prolongado de tempo. E principalmente por que redação sempre foi a minha pior matéria na escola.

Mas a vida veio me ensinando que na verdade não há nada que a gente não possa fazer. Se você gosta de algo do fundo do seu coração, este algo te permite fazer o que você quiser com ele. Foi assim que eu descobri que eu poderia sim ser vendedora, desde que eu amasse e conhecesse o que estava vendendo, e agora descobri que posso sim ser “escritora” desde que eu ame aquilo sobre o qual estou escrevendo.

A internet permitiu que as pessoas começassem a falar e escrever para o mundo sem que isso fosse parte da sua profissão ou que elas estivessem linkadas a algum tipo de mídia como a televisão, rádio, jornal ou revista. De repente todo mundo tinha uma voz. Isso é bom e ruim… Tem um monte de gente por aí destilando ódio na internet… mas eu prefiro ignorar estas pessoas.

Desde que eu tive acesso à internet (e tenho orgulho de dizer que sou da geração que viu a internet como fonte de informação pras massas nascer), eu aprendi a usá-la a meu favor. Primeiro foi como meio de comunicação, depois como meio de conhecer pessoas novas, e hoje ela é pura e simplesmente o meu Aurélio, ou o meu “pai dos burros”. Se estou indo em algum lugar, pensando como vou desenrolar a língua para conseguir criar um diálogo em alemão, já saco o celular do bolso e começo a procurar as palavras de que vou precisar. Se estou com vontade de comer alguma coisa mas não sei bem como fazer, saco o celular e busco uma receita que se assemelhe àquilo que quero comer. Se não sei a resposta sobre uma pergunta, pá! se fiquei com vontade de ouvir uma música que há muito tempo não ouço, pá!

Foi assim que começou a crescer a minha vontade de ter um blog. Eu poderia escrever sobre qualquer coisa, afinal eu tenho muitos interesses… mas nunca senti que o que eu conhecia ou tinha pra dizer sobre estes assuntos fosse suficiente para interessar outras pessoas. Aí comecei a me dedicar à minha cozinha e à alimentação da minha família, e fui encontrando um monte de gente que tinha os mesmos interesses. Gente que dava Pin nos mesmos posts que eu no Pinterest, gente que escrevia blogs em outros países e acabava me ajudando a fazer alguma coisa, gente que fazia perguntas para as quais eu tinha respostas nos grupos do Face de que participo. Gente que vinha na minha casa ou participava de encontros junto comigo e elogiava os meus “quitutes” ou as minhas idéias, etc… E porque não, já que tem tanta gente por aí que se interessa pelo mesmo assunto e que muitas vezes se surpreende com dicas que pra mim parecem tão simples e corriqueiras, escrever pra estas e pra outras pessoas que talvez eu possa ajudar e ainda não me conhecem?

Pois bem… 3 dias de blog e 3 destas pessoas já entraram em contato comigo. Que legal!!

A primeira pessoa me perguntou se eu tinha receitas típicas de pratos alemães já que ela era descendente de alemães e gostaria de experimentar. Bom.. como eu sou casada com um brazuca (que de alemão só tem o passaporte, o avô, e o gosto pelo frio) e dentro de casa minha vida ainda é bem brazuca, eu ainda não me atrevi nos pratos alemães… apesar de já estar tentando coisas novas.. mas acho que primeiro preciso afinar mais o meu alemão pra conseguir ler os blogs nesta língua.

A segunda pessoa elogiou a minha inciativa e disse que mesmo vivendo na Alemanha há 10 anos ainda descobria coisas novas em blogs como o meu. Caramba! que legal!! imagina eu conseguir ajudar pessoas que estão aqui há mais tempo do que eu!! isso é demais e me faz sorrir um sorriso largo.. 🙂

A terceira também elogiou o meu blog e me perguntou se eu pensava em postar as receitas mais detalhadas (tipo 100g disso, uma xícara daquilo) pra ajudar os iniciantes. Confesso que durante todo este processo, pensei muito nisso. E só não fiz por que realmente não sei!! Hoje de manhã comentei com o meu marido e ele me disse: “linka com a página onde você encontrou a receita”. Ao que eu perguntei: “que página? a receita de estrogonofe de frango e de sopa de feijão estão na minha cabeça! rs” … pois bem… eu faço a maioria das minhas receitas no “olho”. Sempre tentando ajustar os ingredientes 1. para não faltar nem sobrar (odeio sobra de comida) 2. para agradar o paladar de todos da família. E aí eu queria dizer pros inciantes que: Eu vou dar o meu jeito e eu vou transformar as receitas que estão na minha cabeça em receitas passo-a-passo sim! Afinal eu também fui um dia iniciante e não fazia idéia de quanta cebola usar pra temperar uma xícara de arroz. Mas também quero que vocês saibam que cozinhar não é matemática.. é um pouco como química e a alteração das quantidades e dos ingredientes vai sim alterar o resultado, mas neste caso mudar é bom! Afinal as pessoas tem gostos e paladares diferentes umas das outras… então se você ver uma receita que leva coentro e você odeia coentro, troque o coentro por salsinha ou simplesmente não coloque coentro! se você estiver fazendo uma receita e achar que a quantidade de açúcar é muita, coloque menos! e olha… eu já tive vários desastres.. e nunca desisti.. se não ficou bom desta vez, tente de novo! Ficou muito doce, ponha menos açúcar da próxima vez, ficou muito salgado, ponha menos sal da próxima vez! e eu confesso que também odeio as receitas que dizem “temperos verdes a gosto” ou “farinha até dar o ponto”.. isso não ajuda em nada! rs

E muito obrigada pelos emails, e por favor, continuem me escrevendo!

Anúncios